projectos e obras


textos diversos


 prédios e vilas 
de lisboa

Nuno Teotónio Pereira
n. Lisboa,1922. Arquitecto pela Escola de Belas Artes de Lisboa.

Consultor de Habitações Económicas - F. Caixas de Previdência. Participante no Inquérito à Arquitectura Regional em Portugal. Delegado português no Comité do Habitat da União Internacional dos Arquitectos. Autor do estudo da "Evolução das Formas de Habitação Pluri-Familiar em Lisboa" e de um ensaio sobre a "Arquitectura do Estado Novo" e de numerosos artigos sobre Arquitectura, Urbanismo, Património e Desenvolvimento Regional.

Autor e co-autor de conjuntos de habitação social e de moradias em vários pontos do País, das igrejas do S. Coração de Jesus em Lisboa, das Águas e de Almada, dos edifícios das Águas Livres, Franjinhas e conjunto do Restelo em Lisboa, da Caixa Geral de Depósitos na Horta e dos Planos de Urbanização do Crato, Fronteira e Castelo de Vide.

2º Prémio Nacional de Arquitectura da Fundação Gulbenkian em 1961, Prémios Valmor de 1968, 1971 e 1975, com menções honrosas em 1987 e 1988, Prémio Aica em 1985, Prémio Instituto Nacional de Habitação em 1992,  Prémio Espiga de Ouro da Câmara Municipal de Beja em 1993 e Prémio Municipal Eugénio dos Santos em 1995.

De 1957 a 1974 trabalhou em associação com Nuno Portas e a partir de 1984 com Pedro Botelho, no Concurso para o Centro Cultural de Belém (menção honrosa), no Elevador de Santa Justa, também com Irene Buarque (1º prémio do concurso), e nos projectos para o Complexo Tivoli, para as estações do Metropolitano e da Transtejo no Cais do Sodré, para dois prédios na reconstrução do Chiado e para conjuntos habitacionais  em Oeiras e na Covilhã. Mais recentemente, é co-autor do Estudo de Recuperação e Revitalização do Palácio Nacional de Mafra e de projectos para Vila do Conde, Barcelos, Lisboa e Universidade de Aveiro.

Resistente contra a ditadura, participou em actividades clandestinas e na Comissão de Socorro aos Presos Políticos. Foi libertado da prisão política de Caxias a seguir ao 25 de Abril, tendo sido depois dirigente do Movimento de Esquerda Socialista. Em 1995 recebeu a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

Sócio Correspondente da Academia Nacional de Belas Artes, foi Presidente do Movimento para a Renovação da Arte Religiosa, da Cooperativa Cultural Pragma, do Centro Nacional de Cultura, da Associação dos Arquitectos Portugueses e do Conselho de Arquitectos da Europa.

Referências Bibliográficas

Página mantida pelo Núcleo de Arquitectura e Urbanismo do LNEC
Última actualização:  Janeiro 2003
Sugestões: iplacido@lnec.pt